quinta-feira, 18 de abril de 2019

CMS: Bem-Vindo de Volta, Frank 2

COLEÇÃO MARVEL SALVAT: JUSTICEIRO - BEM-
VINDO DE VOLTA, FRANK - PARTE 02 de 02
Digitalização e Tratamento: Outsider Z/HORDA Inc.

PARA BAIXAR, CLIQUE MEGA ou MEDIAFIRE

Bem-vindo de volta à segunda parte da sanguinária guerra de Frank Castle contra a notótia família Gnucci. 

Há poucos escritores em tempos recentes que tenham se tornado tão intimamente relacionados a um personagem quanto Garth Ennis ao Justiceiro. A abordagem que Ennis deu ao Justiceiro foi um retorno refrescante  a Frank Castle. 

Por anos foram feitas tentativas de revisar o personagem de diversas maneiras. A mais recente, antes da chegada de Ennis à série, foi uma fase em que Frank trabalhou a mando de um grupo de anjos, usando armas de fogo sobrenaturais para encontrar malfeitores infernais que tinham conseguido voltar à Terra. Embora tenha sido uma mudança de direção certamente corajosa para o personagem, acabou sendo tão desastrosa quanto. 

A minissérie em doze edições de Ennis e Dillon era a história do Justiceiro que os fãs esperavam. A abordagem que deram ao exército de um homem só da Marvel foi tão popular, que a dupla foi logo designada para uma série mensal. Na verdade, Ennis continuaria a escrever o Justiceiro até 2008. A esta altura, ele já teria criado uma saga que cobria todos os aspectos da vida de Frank, recriando toda a sua história como jamais foi feito antes.

Houve narrativas fechadas como O Tigre, que mostravam um Frank de dez anos de idade experimentando a "justiça das ruas", a minissérie Nascido Para Matar, detalhando suas experiências no Vietnã, e Justiceiro: O Fim, uma história que agia como um apropriado "O Que Aconteceria Se...?" que apresentava a conclusão da vida de Frank. 

Com o término do período de oito anos de Ennis, o Justiceiro tinha evoluído para muito mais do que um homem que buscava vingança pela família assassinada. Todos os horrores que o haviam colocado no caminho da vingança tinham sido revelados e sua personalidade fora redefinida para o século 21. (Texto de Marco M. Lupoi)





Nenhum comentário: