sábado, 30 de janeiro de 2016

Bizarro Comics

BIZARRO COMICS
Digitalização e Ajustes 2.0 by H.O.R.D.A. Comics

Bizarro Comics 2.0_20151201_0001
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Já se passaram exatamente 10 anos desde que eu fiz os scans de Bizarro Comics pela primeira vez, pois foi quando a Opera Graphica o lançou aqui em 2005. Ele foi lançado originalmente, nos EUA, em 2001.

Há 10 anos atrás eu ainda tinha escrúpulos quanto a desmembrar encadernados caros. Na época ele custou R$ 75,00, se não me engano. Uma edição de luxo, capa dura, mais de 200 páginas. Eu nunca havia picotado algo tão caro e não ia ser naquele momento que eu iria começar. Então, como fazer para colocá-lo para download?

Bizarro Comics 2.0_20151201_0018

Resolvi fazer algo que já tinha feito antes, mas que não foi pelo mesmo motivo e, sim, porque a HQ que eu comprei era em preto e branco, sendo que no original ela era colorida. Da mesma forma que fiz com ela, fiz com Bizarro Comics.

Consegui os scans em inglês e – eu mesmo não acreditava que iria fazer aquilo – copiei palavra por palavra, da HQ em português, para os balões do scan em inglês, depois de apagá-los. O problema é que a coisa em Bizarro Comics era bem mais complicada. Com exceção da primeira e última história, cada uma das outras tinham fontes diferenciadas. E, claro, eu não tinha nenhuma delas. Também levaria muito tempo procurando. Eu precisava  fazer com as que eu tinha.

Bizarro Comics 2.0_20151201_0054

Eram mais de duzentas páginas. Mas, eu procurei esquecer esse detalhe e ir em frente. Tudo para preservar intacto a minha edição. Ainda assim, escaneei o índice em português e a contracapa, que seriam problemáticas fazer em português. Mas, isso não avariou a HQ.

Depois de uns dois ou três dias de trabalho eu terminei, e gostei do resultado final. As fontes não eram as mesmas, mas procurei colocar sempre uma que se aproximasse em estilo da que estava no original. A HQ valia todo esse trabalho? Nem sei dizer, mas eu queria que ela fosse compartilhada e pronto.

Bizarro Comics 2.0_20151201_0077

Acabou que eu nem fiquei com a edição encadernada. Tempos depois eu a vendi e, desde então nunca mais pensei na mesma. Mas, assim como venho fazendo com várias, achei que ela merecia uma versão 2.0 desta vez direto da edição publicada aqui. Consegui-a no Mercado Livre e não pensei duas vezes em refazer. Por que tanto empenho? Nem eu sei.

A HQ não é algo assim do outro mundo, mas eu gosto dela por fugir da mesmice ou pelo menos tentar. A Opera Graphica ainda lançou um segundo volume chamado Mundo Bizarro que, se um dia eu conseguir encontrar, estará aqui. Pena que a DC parou apenas nestes dois.

Bizarro Comics começa com Mxyzptlk sendo nomeado o novo governante da Quinta Dimensão. Logo ele descobre o motivo: os antigos governantes se viram desafiados por um gigantesco alienígena para uma batalha de jogos que, caso perdessem, ele tomaria posse do lugar. Assim, eles passam a bola para Mxyzptlk.

Bizarro Comics 2.0_20151201_0185

Desesperado, o duende tenta buscar a ajuda de seu inimigo, Superman. Porém, acaba encontrando solidariedade apenas da cópia mal feita do herói, Bizarro.

Para ajudar a derrotar o poderoso ser chamado apenas de A, Bizarro resolve que a solução está nos próprios quadrinhos e, assim sendo, ele mesmo passa a produzir quadrinhos… bizarros.

Cada história a partir de então é da autoria de vários autores da cena mais alternativa dos quadrinhos americanos, como, por exemplo Craig Thompson, Evan Dorkin, Jessica Abel, Bill Wray, Jill Thompson e vários outros. A capa ficou a cargo do lendário criador dos Simpsons, Matt Groening.

As histórias são sempre bem-humoradas e exploram algumas possibilidades como uma babá para o bebê Clark Kent, Aquaman entrando em conflito com os peixes, o dia a dia da Mulher-Maravilha e o que acontece aos construtos abandonados do Lanterna Verde, entre outras coisas.

Mesmo não sendo uma revolução dos quadrinhos, o fato é que eu gosto muito dessa edição, mesmo que isso soe meio… bizarro.

Bizarro Comics 2.0_20151201_0192

Um comentário:

BUDU GARCIA disse...

Eudes:
Não que eu não soubesse, mas tu és o mais LOUCO dos skans.
Grato!