terça-feira, 23 de junho de 2015

Uma História de Violência


UMA HISTÓRIA DE VIOLÊNCIA - WAGNER & LOCKE
Tradução e Letras by
GIBISCUITS


Image and video hosting by TinyPic
PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Sinopse: Apesar de, nesta nova fase do RA, que já dura alguns anos, eu preferir postar apenas material que eu mesmo digitalize, ou que alguém envie diretamente para mim, às vezes encontro nos blogs e fóruns alguma HQ que é essencial divulgar por aqui, também. Não todas, pois seria um trabalho meio que inútil, já que é só ir ao local onde elas são feitas e baixá-las. A maioria desses lugares estão listados, com pequenos banners aí ao lado direito. Aconselho que as pessoas que aqui vêem, façam visitas constantes a eles, pois vão achar centenas de gibis que não são postados aqui.

Voltando à HQ em questã, o Gibiscuits fez um enorme favor em traduzir e letreirar a graphic novel, Uma História de Violência de Matt Wagner e Vince Locke. Ela gerou o filme de David Cronnenberg, Marcas da Violência, estrelada pelo ator Viggo Mortensen, em 2005, há longos 10 anos atrás. A HQ em si é de 1997.

Uma das coisas mais frustrantes que há, quando assistimos um filme e sabemos que é baseado em alguma graphic novel que não dará as caras por aqui é, exatamente isso, ela não dará as caras por aqui. A menos que seu inglês seja muito bom, você não vai lê-la. E, talvez este seja o melhor que há no trabalho de distribuir scans, encontrar material realmente relevante e trazê-lo até nós. Desde que vi o filme pela primeira vez, fiquei com vontade de ler a graphic. Hoje eu fiz isso. E, me surpreendi.

Cronenberg é conhecido por fazer excelentes filmes e A Marca da Violência não é diferente. O filme teve até mesmo duas indicações ao Oscar. Mas, ao ler a graphic novel de Matt Wagner (Juiz Dredd) e Vince Locke (Sandman: Teatro do Mistério) nos vemos diante de uma obra muito mais tensa e abrangente que sua cópia cinematrográfica. Se Cronenberg não tivesse alterado tanto o que está na HQ, o filme seria um épico inesquecível.

A história gira em torno um homem comum, dono de uma pequena lanchonete, que acaba por matar dois assaltantes dentro de seu estabelecimento. Esse acontecimento irá alterar toda sua vida antes pacata. A partir de então, ele começa a ser assediado por mafiosos que insistem dizer que o conhecem. A partir dese ponto HQ e filme divergem e seguem caminhos diferentes. A versão gráfica acaba sendo, como de costume, ainda melhor que a película, com cenas, que vou ser sincero, digna dos antigos filmes de terror de Cronenberg, o que chega a ser irônico.

Mas, no fim das contas, são duas obras que nos marcam com suas histórias de violência.

Image and video hosting by TinyPic

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bom o HQ. fiquei surpreso com cada momento.
isso que não tive paciência para ler de ponta a ponta.
Pena que os desenhos são horríveis. deletei quando terminei.
Rapaz deu até vontade de ver o filme.
Pena que o blog (taca a mãe pra ver se clica) ja não existe mais.
Talvez lá teria esse.
Helcio