terça-feira, 1 de abril de 2014

Hard Boiled: À Queima-Roupa


HARD BOILED: À QUEIMA-ROUPA - FRANK MILLER
Scans 2.0 by Onomatopéia/Rapadura


Image and video hosting by TinyPic
Para baixar, clique AQUI


Frank Miller já nos deu muitas alegrias em termos da Nona Arte. Fica difícil imaginar que seja a mesma pessoa de hoje em dia. Eu o conheci como a maioria daqueles da minha idade o conheceu: nas páginas das HQs da RGE e Editora Abril. Ou seja, não sabíamos quem era Frank Miller. Até o dia em que o Demolidor entrou em seu caminho. O Homem Sem Medo catapultou o senhor Miller para o estrelato.

A partir daí, a DC Comics também queria um pedaço do cara e o contratou para escrever uma das HQs mais importantes do Homem Morcego: Batman: O Cavaleiro das Trevas. E não parou aí. Juntamente com David Mazzuchelli revitalizou o mesmo personagem em Batman Ano Um. E o homem não parava. Voltando à casa de origem, retornou a Demolidor também mexendo em sua origem e depois nos deu a clássica Queda de Murdock, novamente com Mazzuchelli.

O homem tinha o mundo dos quadrinhos a seus pés. Logo estava trabalhando em projetos autorais como Martha Washington, Bad Boy, Sin City e este Hard Boiled: À Queima-Roupa, junto a Geof Darrow com quem dividiu os créditos dessa ficção científica ultra violenta. Darrow viria a ficar conhecido por seu trabalho no design do filme Matrix e se tornaria também um nome recorrente na indústria dos quadrinhos. Seu detalhismo impressiona.

Entre erros e acertos Frank Miller ia deixando de lado a fama de um dos grandes dos quadrinhos para trás. Com 300 de Esparta ainda manteve o brilho de outrora, mas com Batman: Cavaleiro das Trevas 2, a queda tivera início. Voltou a se animar com o cinema - depois do roteiro para Robocop 2 - quando Sin City foi adaptada para as telas. Mas, meteu os pés pelas mãos quando cismou de dirigir uma adaptação de Spirit, o personagem de Will Eisner, que não estava mais vivo para ver o fiasco.

Enquanto o homem não ressurge, vamos relembrando obras como Hard Boiled, e seu protagonista Nixon (ou Carl Seltz) que vai descobrindo que sua violenta vida não é bem aquilo que ele pensa. A HQ bem poderia ser uma espécie de começo da dominação pela SkyNet, onde as primeiras tentativas de rebelião são feitas. O próprio Miller escreveu uma minissérie chamada Exterminador do Futuro X Robocop. Claro, Hard Boiled não tem nenhuma ligação, mas, lendo e analisando os acontecimentos, parece que estamos vendo as sementes de um futuro dominado pelas máquinas sendo plantadas.

Quanto a Frank Miller é esperar que ele volte a nos brindar com obras que façam jus ao seu nome. Afinal quem reinventa personagens, também pode se reinventar.


2 comentários:

Sylvio de Alencar. disse...

Obrigado, cara. VAleu!!!

Abraços!!

robson firmino cavalcante disse...

ótimo texto sobre o frank miller e sua obra, que disse tudo, e obrigado pelos scans 2.0 dessa história, obrigado por tudo e até mais...